Para ler

 

OUTROS SITES

Child Welfare Information Gateway, pertence ao Children’s Bureau, Administration for Children and Families, do U.S. Department of Health and Human Services, e oferece acesso a publicações e recursos que ajudam as famílias.

The Karyn Purvis Institute of Child Development procura ajudar crianças que sofreram os efeitos de um trauma, de abusos ou negligência, conduzindo pesquisas que ajudam a compreender as necessidades emocionais complexas destas crianças e que procura auxiliá-las a ultrapassar desafios sociais, comportamentais e emocionais.

Creating a Family, conselhos sobre adopção e acolhimento, com vídeos, podcasts e cursos para pais, assistentes sociais, familiares e amigos.

Adopted Reading, sugestões de livros escolhidos por adoptados sobre adopção.

Projecto Adélia, Parentalidade Positiva, Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens.

Center on the Developing Child, Universidade de Harvard, investigação sobre o impacto do trauma e da negligência no cérebro.

American Academy of Pediatrics, site com acesso a documentos simples que podem ajudar pediatras, pais e psicólogos a compreender melhor os efeitos do trauma no cérebro. 

La aventura de convertirse en familia, Biblioteca online sobre temas de adopción. Acesso a livros sobre adopção.

The Feeding Doctor, conselhos sobre alimentação e nutrição, como evitar batalhas de controlo e ter melhores refeições.

FICHAS DE APOIO
OUTRAS FICHAS DE APOIO (DISPONÍVEIS EM PORTUGUÊS EM BREVE)

Checklist

Dificuldades e desafios (aprenda a conhecer melhor a sua criança), Spaulding Foundation.

LIVROS IMPORTANTES

Johanne Lemieux, La normalité adoptive: les clés pour accompagner l’enfant adopté, Montreal: Éditions Quebec, 2013.

A autora desenvolve o conceito de normalidade adoptiva, ajudando os pais a reconfigurar as suas expectativas sobre a criança, para que seja possível aceitar as suas forças e fragilidades, e fornecendo soluções práticas para lidar com problemas comuns que vão surgindo no dia-a-dia das famílias adoptivas. A autora critica a ideia de que os pais adoptivos não precisam de uma formação específica e foca-se na descrição de modos de identificação de problemas e soluções. O livro tem ainda um conjunto de fichas com sugestões de brincadeiras e actividades, de que os pais se podem socorrer quando necessário.

Maria Sequeira Mendes, Adopção Tardia, Lisboa: FFMS, 2021. 

Segundo dados recentes existem, em Portugal, sete vezes mais candidatos a adopção do que crianças em situação de adoptabilidade. Ainda assim, é elevado o número de crianças e jovens que cresce em instituições de acolhimento. Porquê?

Este livro aborda a enorme disparidade existente entre a idade das crianças desejadas pelos candidatos a adopção e as características das crianças adoptáveis. Desencadeado por um conjunto de conversas com famílias que adoptaram crianças a partir dos sete anos de idade, procura desmistificar as supostas dificuldades acrescidas de uma adopção tardia. Pretende, sobretudo, ajudar os candidatos a pais e os pais adoptivos a conhecerem melhor a realidade, contrariando tanto os mitos catastrofistas como uma ideia idílica de família.

The A-Z of Therapeutic Parenting: Strategies and Solutions, Sarah Naish, Jessica Kinsley Publishers, 2018.

Este livro descreve comportamentos comuns em crianças que têm dificuldades de vinculação e/ou que sofreram experiências de trauma durante a infância, sugerindo formas práticas e simples de lidar com cada desafio (desde comportamentos agressivos às dificuldades para dormir).

Karyn B. Purvis, David R. Cross, Wendy Lyons, The Connected Child: Bring Hope and Healing to Your Adoptive Family, NY: McGraw and Hill, 2007.

Escrito por psicólogos que se especializaram em adopção e vinculação, The Connected Child transformou-se num livro fundamental para as famílias que adoptam e acolhem crianças, ajudando os pais a lidar melhor com problemas comportamentais, a disciplinar a criança sem que ela se sinta ameaçada e a criar laços de afecto. No contexto português, em que muitas famílias ainda crêem que «uma palmada nunca fez mal a ninguém», este livro é fundamental, pois ajuda a perceber como a aplicação de um certo tipo de disciplina em crianças que sofreram traumas não só não ajuda a criar laços, como muitas vezes piora o seu comportamento. Os autores focam-se na descrição de soluções firmes, sem trazer ao de cima traumas passados, reforçando-se assim a ligação saudável entre pais e filhos/as.

Ana Kotowicz, Adotar em Portugal, Um guia para futuros pais, Lisboa: Livros Horizonte, 2008.

«A burocracia, a legislação, o começo da avaliação, os testes e a visita a casa, a ida a tribunal são alguns dos temas discutidos neste livro: responder com verdade a estas perguntas, explicar como é o processo de adoção em Portugal, como se pode desencadeá-lo, como é que uma criança passa de institucionalizada a adotável.
E histórias. Muitas histórias de quem já viveu a adoção. “O que acredito é que em Portugal não se fala sobre este assunto. Não sei se a adoção é um tabu ou se simplesmente não interessa às pessoas. Uma das mães que entrevistei, a Sofia, tem uma teoria bem definida e tendo a concordar com ela. Chega-se à adoção, na maioria das vezes, depois de se lidar com a infertilidade e este é um assunto que ninguém gosta de discutir. Foi o nosso caso e foi o caso da maioria dos casais com quem falei.” Vamos então falar sobre adoção?»

Deborah Gray, Attaching in Adoption: Practical Tools for Today’s Parents, London: Perspectives Press, 2002.

Este clássico sobre adopção é um guia detalhado e útil para futuros e actuais pais, que os ensina a compreender melhor as crianças adoptadas e a promover laços afectivos estáveis. O livro dá aos pais estratégias práticas para melhorar a felicidade e a saúde emocional de cada criança. Também explica como podem o trauma e a tristeza afectar o desenvolvimento emocional de cada criança e como melhorar a vinculação, a cooperação e a confiança.

Katja Rowell, Love Me, Feed Me: The Adoptive Parent’s Guide to Ending the Worry About Weight, Picky Eating, Power Struggles, S.l.: Family Feeding Dynamics, 2012.

A relação das crianças adoptadas ou em acolhimento com a comida não é fácil. Muitas vezes, foram alimentadas à força, não tiveram comida suficiente ou não a tiveram quando dela precisavam. Love Me, Feed Me é um guia prático que tem o propósito de ajudar as famílias adoptivas e de acolhimento a criar uma relação saudável à mesa, levando as crianças a experimentar alimentos variados, a eliminar lutas de poder e a ter refeições prazenteiras à mesa.

Rachel Staff, Parenting Adopted Teenagers – Advice for the Adolescent Years. S.L.: Jessica Kingsley Publishers, 2015.

Como podem os pais adoptivos navegar os desafios da adolescência? Este guia tem conselhos úteis, que permitem aos pais compreender melhor o impacto do trauma no desenvolvimento de uma criança e conhecer os desafios específicos que podem surgir na adolescência.

Neurologicamente, nesses momentos de tensão, os filhos/as nada aprendem, logo, tendem a repetir o erro à primeira oportunidade. As crianças só apreendem a mensagem quando as conseguimos acalmar. É esse o primeiro passo. Depois, em vez de se aplicar um longo e inútil sermão, é preciso usar poucas palavras, incisivas e firmes. E o mais importante é repetir a história: atiraste o prato, estragaste os cereais. Nessa altura, elas percebem. E é então que os pais podem conduzir o comportamento da criança para a direcção pretendida.

Daniel J. Siegel, Tina Payne Bryson, Disciplina sem Dramas, Lisboa: Casa das Letras, 2018.

Está na casa de amigos quando o seu filho/a começa uma birra épica. O que vai fazer? Castigá-lo? Dar-lhe um sermão? Qualquer das soluções pode funcionar naquele momento. Mas os efeitos a longo prazo serão praticamente nulos. E, passado pouco tempo, terá de enfrentar nova crise, mais gritaria e desgaste… O cérebro das crianças e adolescentes é muito diferente do nosso. E o modo como reagem a berros, palmadas ou a castigos clássicos é o contrário do que esperamos.

Neurologicamente, nesses momentos de tensão, os filhos/as nada aprendem, logo, tendem a repetir o erro à primeira oportunidade. As crianças só apreendem a mensagem quando as conseguimos acalmar. É esse o primeiro passo. Depois, em vez de se aplicar um longo e inútil sermão, é preciso usar poucas palavras, incisivas e firmes. E o mais importante é repetir a história: atiraste o prato, estragaste os cereais. Nessa altura, elas percebem. E é então que os pais podem conduzir o comportamento da criança para a direcção pretendida.

Katie Naftzger, Parenting in the Eye of the Storm – The Adoptive Parent’s Guide to Navigating the Teen Years,  S.L.: Jessica Kingsley Publishers, 2017.

Katie Nafztger é uma psicóloga familiar que foi adoptada, o que lhe dá uma sabedoria particular perante a adopção. Este manual ajuda os pais adoptivos a manterem a calma no meio da tempestade que podem ser os anos da adolescência, descrevendo as ferramentas mais importantes que ajudarão o seu filho/a a navegar com confiança a adolescência. A autora descreve quatro objectivos para os pais:

  • Em vez de salvar, responder;
  • Estabelecer limites-sensíveis e regras de base;
  • Ter conversas que estabelecem uma ligação com o adolescente;
  • Ajudar o adolescente a imaginar o seu futuro.

Lindsey Biel, Raising a Sensory Smart Child, London: Penguin Books, 2009.

Este livro é imprescindível para as crianças com dificuldades sensoriais – aquelas para quem processar as emoções do dia-a-dia é um desafio e que apresentam comportamentos inusuais perante o toque, o movimento, o cheiro ou o som. Os desafios sensoriais afectam muitas vezes as crianças que sofreram um trauma ou negligência na primeira infância, pelo que poderá identificar neste livro comportamentos que a sua criança apresenta,  aprendendo a lidar melhor com eles.

Carol Kranowitz, The Out-of-Sync Child Has Fun, Revised Edition: Activities for Kids with Sensory Processing Disorder (The Out-of-Sync Child Series), S.L. USImports, 2006.

Este guia muito acessível onde se examinam as questões sensoriais, A Criança Fora de Sincronização, tocou os corações e as vidas de milhares de famílias. Neste livro, Carol Stock Kranowitz apresenta mais de cem actividades lúdicas especialmente projectadas para crianças com SPD. Cada actividade deste livro inspirador e prático é SEGURA – Sensorial-Motora, Apropriada, Divertida e Fácil –, para ajudar a desenvolver e organizar o cérebro e o corpo da criança. Se o seu filho/a enfrenta desafios com o toque, o equilíbrio, o movimento, a posição do corpo, a visão, a audição, o olfacto e o paladar, o planeamento motor ou outros problemas sensoriais, este livro apresenta jogos divertidos e envolventes que permitem responder às situações quotidianas.

David M. Brodzinsky, Marshall D. Schechter, Robin Marantz Henig,  Being Adopted: The Lifelong Search for Self,  S.L: Anchor Press,1992. 

Um dos primeiros livros, e ainda hoje um dos melhores, a explorar o impacto perene de ser adoptado e a normalizar as questões que muitas pessoas adoptadas sentem. Este livro melhorou a vida de muitas pessoas adoptadas e deveria ser de leitura obrigatória para todos os pais adoptivos. O Dr. David Brodzinsky foi entrevistado várias vezes no programa de rádio Criar Uma Família: «A adopção fora da ordem de nascimento» e «Problemas de saúde mental com crianças adoptadas».

Deborah N. Silverstein e Susan Livingston Smith, Siblings in Adoption and Foster Care: Traumatic Separations and Honored Connections, S.L: Praegar, 2008.

Este livro de Deborah N. Silverstein e Susan Livingston Smith mostra como o relacionamento entre irmãos é emocionalmente poderoso e importante, dando às crianças uma sensação de continuidade ao longo da vida, que é por vezes mais relevante do que a que estes estabeleceram com os seus pais biológicos.  Este livro é trata de forma abrangente as questões que os irmãos enfrentam durante o acolhimento ou a adopção e discute maneiras práticas de cultivar laços entre irmãos e estratégias de saúde mental para apoiar esses relacionamentos, problematizando também o direito legal de os irmãos estarem juntos e as questões presentes na adopção internacional.